Numa decisão judicial inédita no Estado, a Justiça do Ceará autorizou a detenta Cynthia Corvello, condenada a 25 anos e 4 meses de prisão, a frequentar o curso de História na Universidade Federal do Ceará. A ação foi ajuizada pelo Núcleo Especializado em Execução Penal (NUDEP) da Defensoria Pública do Estado do Ceará (DPGE).

A decisão da juíza da 2ª. Vara de Execuções Penais, Luciana Teixeira de Souza, foi baseada no bom comportamento da detenta, que cumpre pena no Instituto Penal Feminino Desembargar Auri Moura Costa, onde é responsável pela biblioteca e por projetos de leitura e atividades culturais, e no seu desempenho nas provas do ENEM – ela obteve 900 pontos na prova de redação, cujo total é de 1000 pontos -, realizadas no ano passado.

Para frequentar a universidade, Cynthia terá que usar monitoramento eletrônico e nos primeiros 30 dias será acompanhada, em sala de aula, por uma equipe da Secretaria da Justiça e Cidadania do Estado do Ceará (Sejus).

 

 

Compartilhe