fotoA Associação dos Defensores Públicos do Estado do Ceará (Adpec), representada por sua presidente, Sandra Sá, participou do lançamento do Fórum Permanente de Debates e Propostas contra a Violência, na manhã desta segunda-feira (24/03), às 10 horas, na sede da OAB-CE. O evento reuniu entidades ligadas às áreas da segurança e da justiça.

O Fórum será composto por membros da OAB, Adpec, Associação Cearense dos Magistrados, Associação Cearense do Ministério Público e Associação dos Delegados de Polícia do Estado do Ceará. “Trata-se de uma importante iniciativa para que a sociedade civil organizada possa dar sua contribuição com propostas para reduzir a violência em nosso Estado”, afirma a presidente da Adpec, Sandra Sá.

Para Sandra, a crescente onda de violência advém da ausência do Estado na sociedade. “Ausência esta evidenciada pela falta de investimento em pessoal”, acrescenta. Ela lembra que o serviço público tem sido sucateado nos últimos tempos e, no caso da Defensoria Pública, o investimento deficiente do governo nesse órgão tem contribuído para o aumento da violência, na medida que o defensor público é o agente responsável pela democratização do acesso à justiça.

Nada menos do que 73 % dos municípios do Estado não contam com defensor público. “E onde não há justiça, reina a violência e a impunidade”, reforça Sandra.

Segundo o presidente da OAB-CE, Valdetário Monteiro, o Fórum se reunirá uma vez por semana, às segundas-feiras, para coletar novos dados sobre a violência e avaliar as políticas públicas nos níveis municipal, estadual e da União. O objetivo das discussões é formular propostas comuns que possam ser efetivadas pelos governos, pelo mercado e pela sociedade.

Estatísticas preocupantes

De sexta-feira (21) às 18 horas de ontem (22), em Fortaleza e Região Metropolitana, 67 corpos deram entrada na Perícia Forense, 39 dos quais mortos à bala, conforme dados da Secretaria Estadual da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) e da própria Pefoce. O índice supera até o fim de semana do Carnaval.

A Capital cearense ganhou destaque negativo ontem, no programa Fantástico, exibido pela Rede Globo, como sendo a 7ª cidade mais violenta do mundo e a segunda do Brasil de acordo com Conselho Cidadão para a Segurança Pública e Justiça Penal, do México. O conselho lista as 50 cidades mais perigosas do mundo com base no número de homicídios em proporção à população.

Segundo o índice do estudo, Fortaleza tem a taxa de homicídio de 72,81; no Brasil, a capital cearense fica atrás apenas de Maceió, com taxa de homicídio de 79,76. Os números são referentes a 2013.

Compartilhe