Reunião OP DPGENa tarde da última quinta-feira (23), a Defensoria Pública do Estado do Ceará realizou uma reunião ampliada com representantes da sociedade civil e movimentos sociais para apresentar as conquistas do I Orçamento Participativo para o ano de 2017 e ouvir sugestões sobre como serão realizadas as reuniões para o orçamento de 2018. A roda de conversas aconteceu no Centro de Defesa da Criança e Adolescente (CEDECA) e contou também com a presença dos aprovados no último concurso para defensor público, no qual 94 aprovados aguardam nomeação. A Adpec foi representada pela presidente, Ana Carolina Gondim Ferreira Gomes.

Para a representante do Centro de Estudos do Trabalho de Assessoria ao Trabalhador e à Trabalhadora (Cetra), Neila Santos, a oportunidade dada pela Defensoria Pública de escutar a sociedade para saber quais as maiores demandas da população é de suma importância e traz muita esperança para aqueles que estão esquecidos. “Eu me sinto instigada, instigada a colaborar com a divulgação, instigada a também sugerir propostas a partir das realidades que tanto a gente vivencia quanto a gente sente pelo estado do ser humano”, relata a representante.

Além de participar das reuniões presenciais, a população também já pode contribuir com a Consulta Pública do II Orçamento Participativo da Defensoria Pública do Estado, disponível no site (http://www.defensoria.ce.def.br/orcamento-participativo-da-defensoria-publica-do-ceara-2018/), propondo temáticas prioritárias à atuação da Instituição por meio do preenchimento de um formulário eletrônico. O questionário também será aplicado aos assistidos no Núcleo Central de Atendimento; nos núcleos descentralizados da Defensoria Pública localizados nos bairros João XXIII, Mucuripe e Tancredo Neves; nos Juizados Especiais; e nos núcleos de Práticas Jurídicas das Instituições de Ensino Superior. “A partir das respostas prestadas na consulta pública será elaborado o formulário que será aplicado nas audiências públicas que discutirão as políticas prioritárias a serem executadas pela Defensoria Pública no ano de 2018.”, explica a defensora pública e assessora de Relacionamento Institucional, Michele Camelo.

A Defensoria Pública do Ceará é a primeira instituição do sistema de justiça estadual a trabalhar com orçamento participativo. A medida aproxima a instituição do seu verdadeiro fim, que é o fortalecimento do Estado Democrático de Direito, fomentando a democracia, estimulando a cidadania e legitimando seus pleitos.

Fonte: Ascom DPGE

Compartilhe