A Associação dos Defensores Públicos do Estado do Ceará-Adpec, através de sua presidente, Sandra Moura de Sá, e da diretora Jurídica e de Prerrogativas, Elizabeth Chagas, dando prosseguimento à sua proposta de conhecer melhor os movimentos sociais e ampliar o relacionamento com seu público alvo – os desassistidos-, promoveu mais uma reunião com membros desse segmento. No final da tarde desta sexta-feira, 15, recebeu, na sua sede, representantes nacionais e locais do Movimento dos Sem Terra-MST, Síntia Silva, Vera Mariano e Antônia Ivoneide, e da Rede Nacional de Advogados e Advogadas Populares-Renap, Rodrigo Medeiros, que também representou o Intervita.
“Desde o início da gestão, a Adpec se propõe a trabalhar no sentido de se aproximar e conhecer melhor as diversas realidades que compõem o universo dos movimentos sociais. E esse é um diálogo de mão dupla porque, ao mesmo tempo, se pretende mostrar o trabalho do Defensor Público, sobretudo em seu papel de transformador social através da educação em direitos”, explica a presidente da Adpec.
Na reunião desta sexta-feira, o MST se fez representar pelo setor de gênero e a discussão teve um viés mais voltado à questão da mulher, sobretudo, em relação àquelas que vivem nas comunidades rurais. “O nosso trabalho inicial se dará, portanto, na política de educação em direito para as mulheres”, observa a diretora Elizabeth Chagas.
Nas discussões foi ventilada a realização de projetos tendo a Adpec como parceira – um deles seria relacionado à violência contra a mulher.
Uma nova reunião ficou agendada para o próximo dia 5 de abril.
 

Compartilhe

A Associação dos Defensores Públicos do Estado do Ceará-Adpec, através de sua presidente, Sandra Moura de Sá, e da diretora Jurídica e de Prerrogativas, Elizabeth Chagas, dando prosseguimento à sua proposta de conhecer melhor os movimentos sociais e ampliar o relacionamento com seu público alvo – os desassistidos-, promoveu mais uma reunião com membros desse segmento. No final da tarde desta sexta-feira, 15, recebeu, na sua sede, representantes nacionais e locais do Movimento dos Sem Terra-MST, Síntia Silva, Vera Mariano e Antônia Ivoneide, e da Rede Nacional de Advogados e Advogadas Populares-Renap, Rodrigo Medeiros, que também representou o Intervita.
“Desde o início da gestão, a Adpec se propõe a trabalhar no sentido de se aproximar e conhecer melhor as diversas realidades que compõem o universo dos movimentos sociais. E esse é um diálogo de mão dupla porque, ao mesmo tempo, se pretende mostrar o trabalho do Defensor Público, sobretudo em seu papel de transformador social através da educação em direitos”, explica a presidente da Adpec.
Na reunião desta sexta-feira, o MST se fez representar pelo setor de gênero e a discussão teve um viés mais voltado à questão da mulher, sobretudo, em relação àquelas que vivem nas comunidades rurais. “O nosso trabalho inicial se dará, portanto, na política de educação em direito para as mulheres”, observa a diretora Elizabeth Chagas.
Nas discussões foi ventilada a realização de projetos tendo a Adpec como parceira – um deles seria relacionado à violência contra a mulher.
Uma nova reunião ficou agendada para o próximo dia 5 de abril.

Compartilhe