SILVANAA Defensora Pública Silvana Matos Feitoza, que atua na 4ª Vara da Infância e Juventude de Fortaleza, está sempre correndo para manter as atividades em dia, pois os processos no âmbito infracional devem ser julgados em 45 dias. Além de uma rotina de audiências, ela lida com a falta de estrutura dos locais onde os jovens devem cumprir suas medidas socioeducativas. Sua maior conquista é “conseguir atender e dar uma orientação e uma palavra de atenção àqueles que cometeram erros, para que passem a ser pessoas melhores e não voltem a praticar qualquer tipo de violência contra a sociedade como um todo”.

Adpec – Há quanto tempo a senhora atua na Defensoria Pública?

Silvana Feitoza – Desde 2009

Adpec – Como é o seu dia a dia de trabalho na 4ª Vara da Infância e Juventude de Fortaleza?

Silvana Feitoza – Trabalho na 4ª Vara da Infância e Juventude já há quase quatro anos e o dia a dia é de muitas audiências, pois trata-se do âmbito infracional, onde os processos devem ser julgados em 45 dias e, assim, estamos sempre correndo para conseguir manter as atividades em dias.

Adpec – Quais as principais demandas do público alvo (casos mais frequentes no atendimento)?

Silvana Feitoza – As principais demandas diárias, sem dúvida, são defesas infracionais de delitos equivalentes a roubos, onde conversamos com os adolescentes e suas famílias, para entender os fatos e buscar a melhor medida para sua reeducação.

Adpec – Quantos atendimentos jurídicos são realizados, em média, no seu núcleo, por dia?

Silvana Feitoza – Por dia, em média são realizadas 10 audiências e todas as pessoas que precisam de atendimento individual conversam comigo, sem limitação de número ou senhas.

Adpec – Alguma situação específica de um/a assistido/a lhe tocou ou chamou atenção?

Silvana Feitoza – Um assistido que possuía três processos infracionais, estava muito próximo a receber a medida socioeducativa de internação, que é considerada a mais grave das medidas possíveis de serem aplicadas, e ainda antes dos julgamentos finais de seus processos, conseguimos com que ele voltasse a estudar, passasse a estagiar na STDS – Secretaria e Trabalho e Desenvolvimento Social do Estado do Ceará e, assim, mostrando-se completamente ressocializado, pode seguir sua vida em liberdade. Na atuação junto a esses processos, passamos a conhecer todos os seus familiares e todas as pessoas que lhe deram apoio para seguir as orientações da defesa, a fim de evitar sua privação de liberdade.

Adpec – Quais os maiores desafios na carreira de Defensor Público, sobretudo no seu núcleo de atuação?

Silvana Feitoza – A falta de estrutura dos locais onde os jovens devem cumprir suas medidas socioeducativas, o que faz com que os mesmos não entendam o caráter ressocializador das medidas e, assim, reincidam nas infrações.

Adpec – E as maiores conquistas ou realizações para a senhora?

Silvana Feitoza – Conseguir atender e dar uma orientação e uma palavra de atenção aqueles que cometeram erros, para que passem a ser pessoas melhores e não voltem a praticar qualquer tipo de violência contra a sociedade como um todo.

Compartilhe