Mil idosos participaram do lançamento da campanha "Defensor Público amigo do idoso", realizada nesta quinta-feira, 1º de outubro, das 8h às 11h, no Parque do Cocó. O evento foi promovido pela Associação Nacional de Defensores Públicos em parceria com as associações de defensores públicos dos estados, incluindo o Ceará. No Ceará, o evento foi promovido pela ADPEC com o apoio do Governo do Estado. Durante o lançamento, a ADPEC distribuiu uma cartilha que produziu com 52 páginas sobre os principais direitos dos idosos, como o direito à saúde, de alimentos e o que fazer em caso de violência contra o idoso. Além de receber a cartilha, os participantes do lançamento foram beneficiados com atendimento e orientação jurídica e uma série de atividades paralelas, como apresentação de banda de capoeira, de música, café da manhã e palestras.

O lançamento da campanha marcou o início de uma série de atividades que serão realizados ao longo do ano em Fortaleza e no interior do estado, voltadas à terceira idade. A próxima ação será no próximo dia 16 de outubro, no bairro Mucuripe. A campanha "Defensor Público amigo do idoso" foi lançada simultaneamente em sete estados brasileiros: Amazonas, Ceará, Minas Gerais, Mato Grosso, Piauí, Roraima e Distrito Federal, todos em locais públicos e de fácil acesso para a pessoa idosa.

De acordo com a presidente da ADPEC, Mariana Albuquerque, a campanha tem como objetivo orientar os idosos sobre seus direitos, já que a maioria desconhece que tem. "Nossa legislação é muito completa em prol da defesa dos idosos. O que faltam são meios para efetivar esses direitos, daí a importância dessas campanhas de orientação jurídica", informa.

Segundo Mariana, o principal problema dos idosos nas Defensorias Públicas de todo o País, conforme levantamento da Anadep, são relacionados ao superendividamento. Por isso, a campanha teve como um dos pontos principais alertar nacionamente os idosos sobre os riscos de empréstimos, principalmente os consignados em folha de pagamento. "Existe um limite mínimo de 30% na concessão do crédito para aposentados e pensionistas, que nem sempre é respeitado. O idoso precisa comprometer sua renda de modo que não prejudique seu sustento, daí a importância dessa margem. Além do mais, é preciso que o idoso leia o contrato, se informe sobre a quantidade de juros que vai pagar e avalie se realmente pode pagar ou se precisa do empréstimo", alerta a defensora. A previsão é que mais de 4 mil pessoas sejam beneficiadas com a campanha no Ceará e mais de 80 mil recebam atendimento e orientação jurídica em todo o País.

 

Compartilhe