Eduardo VillaçaO Defensor Público Eduardo Villaça (foto), da 3ª Defensoria do Júri de Fortaleza, conseguiu a absolvição de seu assistido, o senhor João Ferreira, acusado de matar com o tiro o senhor João Bosco. Assim, terminou no dia 10 de setembro, com o veredito do Plenário do Júri Popular, processo que teve início em 1975.

“O acusado foi absolvido da acusação uma vez que foi reconhecida a situação de legítima defesa com que agiu”, comenta o Defensor Público. Apesar do recurso interposto pela Defensoria Pública, o processo, mesmo ante a situação de legítima defesa que era facilmente aferível, seguiu para julgamento do tribunal popular.

“O acusado, passados os 40 anos de tramitação, envelheceu e contava, na data do julgamento, com 69 anos, nunca tendo, nem antes nem depois do fato, respondido a qualquer outra acusação, restando, ante a fragilidade de sua saúde e sua avançada idade, permanecido em prisão domiciliar até o julgamento”, informou Dr. Eduardo Villaça.

Compartilhe