Preocupada com o elevado número de casos envolvendo menores infratores, a Defensoria Pública de Itapajé, através do defensor público Adson Wariss Maia, iniciou um trabalho de orientação aos adolescentes, principalmente por meio de palestras nas escolas do município. O objetivo das palestras é trazer aos jovens debates sobre cidadania, direitos e deveres, orientado-os, ainda, sobre os perigos que podem levar um adolescente à marginalidade. O intuito é o de que, além se tornarem mais esclarecidos, esses jovens atuem como multiplicadores do tema, fazendo com que os ensinamentos transponham os limites da escola.
Em acompanhamentos a menores infratores, a Defensoria Pública constatou que um dos primeiros passos para a efetiva marginalidade é o abandono da escola. Verificou-se, ainda, que alguns dos atos infracionais começaram dentro da própria escola, o que reforçou a iniciativa.
Atuando de forma preventiva, a Defensoria Pública buscou a parceria do Conselho Tutelar do município para que este fizesse um levantamento da situação junto aos diretores das escolas que apresentavam maiores problemas envolvendo adolescentes.Entusiasmados com a iniciativa, diretores de escolas que ainda não haviam sido incluídas no projeto, solicitaram sua inserção na lista das instituições de ensino a serem acompanhadas pela Defensoria Pública.
 

Compartilhe