defensoras1As defensoras públicas Francilene Gomes de Brito Bessa e Mônica Maria de Paula Barroso, do 2º Grau de Jurisdição, foram empossadas, na quinta-feira, 17, como membros honorários da Academia Cearense de Letras Jurídicas. Uma das mais relevantes atribuições dessa Academia é a de propiciar a divulgação da cultura e da literatura na área jurídica, bem como incentivar a melhoria da qualidade do Ensino de Direito em universidades e faculdades do Estado.

A Academia Cearense de Letras Jurídicas é composta por pessoas ligadas ao Direito, que pensam e contribuem para questões jurídicas de relevância. “Me sinto extremamente feliz com esta oportunidade. A participação na Academia contribuirá para otimizar as minhas atividades, tanto como defensora pública como professora de Direito. Será enriquecedor poder compartilhar experiências com lumiares cearenses do Direito”, destaca a defensora Francilene Gomes.

Com a função de difundir a cultura e discussão de grandes temas sob olhar da Ciência Jurídica, os novos membros oxigenam a entidade e trazem o olhar defensorial às questões ali debatidas. “Estou muito honrada em poder ingressar na Academia e acho de extrema importância para estabelecer uma ponte entre a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB Seção-CE) e Defensoria Pública”, disse a defensora pública Mônica Barroso.

Fonte: Ascom DPGE

Compartilhe