Durante uma audiência pública realizada no Senado sobre o o PLC 137, na última quinta-feira (27/8), a senadora Serys Slhessarenko aproveitou a oportunidade para elogiar a atitude da Defensoria Pública do Ceará e da Associação dos Defensores Públicos do Estado de se preocupar com a possível extinção da Lei Maria da Penha. Na quarta-feira, 26/8, a presidente da ADPEC, junto com a Associação de Defensores da Bahia, da Associação de Defensores do Rio de Janeiro e de diversos representantes da sociedade civil, entregaram uma carta à senadora, escrita pelas defensoras públicas Ana Cristina Barreto, Elizabeth Chagas e Priscila Gusmão, do Núcleo de Enfrentamento à Violência Contra a Mulher da Defensoria do Ceará, trazendo sugestões para a reforma do Código de Processo Penal, de maneira que mantenha a Lei Maria da Penha. A carta enviado ao senado foi aprovada em audiência pública realizada em julho na Assembléia Legislativa do Ceará, a partir de requerimento feito pela defensora Elizabeth Chagas à deputada estadual cearense Raquel Marques.
 

Compartilhe