Em Assembleia Geral Extraordinária, ocorrida sexta-feira, 20, os defensores públicos decidiram pela greve geral da categoria, que terá início a partir do dia 6 de agosto. Para não haver grande prejuízo para a população, ficou acertado que, durante o período de greve, 30% dos serviços prestados pelos defensores públicos serão mantidos.
Até esta data, eles mantêm o estado de greve, que vem ocorrendo desde abril passado, e irão aguardar um posicionamento do governo do Estado sobre as demandas da categoria. As negociações entre as partes, que tiveram início no mês passado, foram interrompidas, quando uma terceira e decisiva reunião entre representantes do governo, da Defensoria Pública Geral e da Associação dos Defensores Públicos do Estado do Ceará-ADPEC, foi cancelada pela Secretária do Planejamento, sem que os demais envolvidos fossem oficialmente avisados. Nesta reunião, o governo deveria apresentar a sua posição sobre o atendimento aos pleitos dos defensores públicos.
A categoria aguarda, portanto, um retorno do governo, que deverá ser avaliado em nova Assembleia, no próximo dia 3.
 

Compartilhe