Neste julho de 2010 foi lançada a campanha "Melhor para os Defensores, Melhor pelo Ceará", que visa ao fortalecimento da Defensoria Pública. Chamar a atenção das autoridades sobre a importância da Instituição para um Ceará mais justo. "É o objetivo da iniciativa, pois os defensores vêm lutando para receber do governo o mesmo tratamento dispensado às demais carreiras jurídicas, por uma melhor estrutura de trabalho e que a DP esteja em todas as cidades do Estado".
Fonte: Diário do Nordeste, coluna do Edilmar Norões, 22/07/2010

Compartilhe

Quem conhece o dia-a-dia de trabalho na sede da defensoria Pública do Estado do Ceará, situada na Rua Caio Cid, nº 100, bairro Edson Queiroz, admira-se com o grande contingente de hipossuficientes à procura de um atendimento, ansiando ser atendido por um defensor público. E não é por menos, haja vista que quase 90% das demandas judiciais são aforadas por esse tão precioso profissional. Os assistidos da Defensoria Pública madrugam à porta da sede, concorrendo entre si na busca de uma senha para atendimento. Sorte daqueles que conseguem uma senha e podem, assim, usufruir da assistência jurídica gratuita a que fazem jus. Àqueles que não conseguem, infelizmente só lhes resta retornar em outro dia e mais uma vez entrar na disputa. Entretanto, muitos desses pobres na forma da lei usuários do serviço prestado pela Defensoria, face à enorme distância que separa suas residências da sede do órgão, acabam por desistir de buscar o serviço gratuito pela referida instituição, uma vez que, muitas vezes, não dispõem de recursos para o árduo deslocamento.

Atenta, como sempre, aos anseios de sua população assistida, a Defensoria Pública, através de sua atual gestão, resolveu descentralizar o seu serviço, criando núcleos pontuados em algumas localidades, satisfazendo, dessa forma, as necessidades daqueles pobres de longínqua distância, bem como contribuindo para desafogar o serviço prestado em sua sede. Assim, foram criados os núcleos do bairro João XXIII, Mucuripe e Tancredo Neves, localidades de grande densidade populacional e necessitadas de um serviço jurídico que permita o acesso de seus cidadãos à Justiça formal. A criação de núcleos descentralizados é consectário do âmago da Defensoria Pública de atender prontamente os seus assistidos, garantindo a todos o direito constitucional à assistência jurídica integral e gratuita e o reconhecimento por parte do Estado da imprescindível contribuição da Defensoria Pública no processo de democratização da Justiça. Que venham novos núcleos!

DELANO CÂNCIO BRANDÃO – Defensor público

Fonte: Diário do Nordeste, 6/3/2009

Compartilhe

Da tribuna da Câmara dos Deputados, o deputado Mauro Benevides, ao comentar o recente encontro que reuniu em Fortaleza defensores públicos do Nordeste, depois de destacar a importância do evento e os resultados dele colhidos pela Defensoria, ressaltou três pontos ali registrados. O da defensora pública geral, Francilene Brito Bessa: ´É possível, sim, fazermos diferente. É possível, sim, uma realidade de mais paz, mais respeito, mais solidariedade´. E o de Mariana Albuquerque, dirigente da Adepec: ´O Nordeste brasileiro tem suas próprias riquezas e belezas, mas também suas grandes e peculiares desigualdades´.

Defensoria II
Vale também destacar, como afirmou Benevides, o que disse o presidente da Associação Nacional dos Defensores Públicos, Fernando Calmon: – ´A Defensoria Pública do futuro também vai promover a difusão e a concretização dos direitos humanos, da cidadania e do ordenamento jurídico´.
Fonte: Diário do Nordeste, coluna Edilmar Norões, 8/12/2008
 

Compartilhe