Laís2Lotada hoje no Núcleo de Petição Inicial da Defensoria Pública em Caucaia, a dra. Laís Facó Almeida diz como é seu dia a dia de trabalho. Fala, também, da realização profissional em exercer a atividade defensorial.

Adpec – Como é o seu dia a dia de trabalho na Comarca de Caucaia?

Laís Facó Almeida – O dia a dia de um Defensor Público transita entre vários sentimentos, especialmente, o de satisfação e compaixão. Não se trata, na maior parte das vezes, de direitos nossos, mas direito do outro, do nosso assistido, a razão para estarmos ali. Nesse sentido, nossa rotina também nos traz apreensão, indignação, emoção etc. Precisamos de muita calma, muita cautela e sensibilidade para compreender a necessidade do assistido, que muitas vezes não se limita aquilo que ele consegue expressar. No entanto, nossa função também é tentar compreender. E nisso nem sempre acertamos, nem sempre conseguimos, as vezes nos falta graça e paciência, outras vezes somos impetuosos, mas dia a dia vamos melhorando e aprendendo, tentando dar o melhor, sem sermos consumidos. E retorno com o que iniciei, à medida que as coisas vão se resolvendo na vida daquele que nos procura, seja judicial ou extrajudicialmente, vamos nos satisfazendo e proporcionando satisfação.

Adpec – Quais as principais demandas do público alvo (casos mais frequentes no atendimento)?

Laís Facó Almeida – Como atualmente me encontro designada para atuação no Núcleo de Inicial, as demandas que chegam, pode-se dizer diariamente, com mais frequência ainda são alimentos, em todas as nuances, pedido de alimentos, execução, revisional e exoneração e, ainda, divórcio. Atualmente, com a situação precária de saúde pública enfrentada pela população semanalmente vimos crescendo o número de ações na área de saúde, notadamente, obrigação de fazer visando vaga em UTI, realização de cirurgia, fornecimento de medicamentos e alimentação enteral.

Adpec – Como funciona o Núcleo de Petição Inicial de Caucaia?

Laís Facó Almeida – No Núcleo de Petição Inicial de Caucaia, onde me encontro designada, juntamente com a colega Valéria Teles, o atendimento é diário e matutino. Diariamente, são entregues senhas para os assistidos com a finalidade de esclarecer a documentação necessária para cada tipo de demanda, o atendimento inicial propriamente dito, que culmina com a judicialização da demanda, bem como a realização diária de audiências extrajudiciais de conciliação e mediação.

Adpec – Quais os principais entraves ao trabalho do Defensor Público no seu núcleo?

Laís Facó Almeida – O Núcleo da Defensoria em Caucaia funciona em sede própria o que nos permite receber durante todo o expediente diário os assistidos em nossa própria “casa”, melhorando sensivelmente o atendimento e o funcionamento da Defensoria. Acredito que os maiores entraves ainda são a falta de colaboração dos organismos, sejam estatais ou privados, no fornecimento de informações necessárias ao ingresso de demandas, a lentidão na prestação das informações quando requisitadas e, especialmente, o número insuficiente de Defensores, considerando que a Comarca de Caucaia tem uma população que já excede 325 mil habitantes.

Adpec – Quais os maiores desafios na carreira de Defensor Público? E as maiores alegrias?

Laís Facó Almeida – Ser Defensora Pública é uma grande realização, sou grata a Deus pelo presente que é a Defensoria em minha vida, nunca durante toda a faculdade ou mesmo durante os anos que estudei para concurso, vislumbrei a carreira de Defensor, no entanto, não me enxergo exercendo hoje nenhuma outra função de que traga tamanha satisfação. O sentimento é de que somos remunerados para fazer o bem. E isso nos traz alegria diária, mas igualmente um peso de responsabilidade, pois nos encontramos na porta do acesso à Justiça e precisamos ser resposta às pessoas que nos procuram, e resposta efetiva! Ingressei na DPE/CE em 2010 e tive o privilégio de acompanhar os últimos acontecimentos institucionais bem de perto, ver a valorização da nossa carreira, o reconhecimento da nossa autonomia. Sabemos que estamos dando passos, que a carreira que percorreremos se encontra no início, ainda temos um bom combate pela frente, mas estou certa de viver com aquilo que já alcançamos, grata e olhando sempre adiante.

Compartilhe