AlfredoEm 31 de janeiro a Adpec realizou no lobby do edifício São Mateus, mesmo prédio onde está situada a sede da Associação, debate entre os candidatos a membro do Conselho Superior da Defensoria Pública biênio 2014-2016. Na busca por esclarecer ainda mais os defensores associados sobre os posicionamentos e as propostas de cada um dos oito candidatos, a Associação publica nesta segunda-feira, 3, entrevistas exclusivas com o grupo.

Veja abaixo entrevista com o defensor público candidato a membro do Consup Alfredo Homsi:

Adpec: Por que o senhor resolveu ser candidato a membro do Consup?

Alfredo Homsi: Conheço as atribuições do cargo que me disponho a ocupar junto ao Consup, onde já tive a honra de atuar como Secretário Executivo por 3 anos e para onde desejo retornar, desta vez como Conselheiro, desejando contribuir mais efetivamente com os avanços institucionais almejados por todos. Uma instituição não se faz forte sem a participação propositiva de seus membros, através de seus representantes eleitos, necessitando, para isso, que quem os represente possa estar alinhado com os anseios e necessidades do todo e não de apenas uma fração. É com esse entendimento, as experiências sistêmicas de Defensoria Pública e as contribuições que certamente receberei de todos os colegas, que pretendo construir no Consup um mandato autônomo, comprometido com a defesa de melhorias para todos que, como eu, amam e dedicam sua força de trabalho em prol de uma Defensoria Pública mais forte e respeitada.

Adpec: Como avalia o cenário atual do Conselho?

AH: Vejo no Consup um espaço privilegiado para a formulação e implementação de estratégias que possibilitem a construção de uma Defensoria na qual a verdadeira autonomia deixe de ser apenas uma meta, mas se torne realidade, com todos os benefícios dela decorrentes, financeiros e estruturais. Possivelmente o maior desafio, para o próximo biênio, seja exercer, de forma mais efetiva, o fomento à participação democrática dos membros da carreira em todos os assuntos afetos a sua competência, que acabam repercutindo decisivamente nos rumos tomados pela Instituição. Os novos Conselheiros Eleitos terão papel fundamental para superação das crises decorrentes do eventual embate de forças internas, exigindo-se para isso isenção e total independência dos mesmos. Acredito que novas conquistas, bem como o fortalecimento das já existentes virão com a união da categoria, sem qualquer política de exclusão.

Adpec: Quais são suas propostas de trabalho?

AH: Atuação objetiva e transparente, compartilhada e aberta, que priorize ouvir os colegas, discutir metas, avaliar as ideias com tolerância, flexibilidade, responsabilidade, socializando os encaminhamentos e decisões; Promoção do fortalecimento da imagem da Defensoria Pública, trabalhando por sua aproximação com os movimentos sociais organizados e a sociedade, com total apoio a atuação de nossa Ouvidoria Externa; Lutar pela valorização do Defensor, defesa de suas garantias e prerrogativas, promovendo incentivos ao aprimoramento, aperfeiçoamento e à responsabilidade funcional; Propor a implementação do Conselho Itinerante, propiciando a realização de sessões regionalizadas, fortalecendo a aproximação do CONSUP com os órgãos de atuação do interior: Enfim, pretendo, acima de tudo, ajudar na construção de uma Defensoria forte e autônoma, onde todos estejam comprometidos com os mesmos ideais.

Compartilhe