Os defensores públicos do Ceará paralisam as atividades hoje e amanhã. A categoria, composta por 291 profissionais, se encontra em estado de greve desde o último dia 20 de abril. Durante os dois dias de suspensão dos trabalhos, os defensores estarão na Assembleia Legislativa, apresentando suas reivindicações aos deputados, dos quais afirmam ter apoio.

Dentre as reivindicações estão a efetivação da autonomia plena da Defensoria Pública; o preenchimento de todos os cargos de defensores criados por lei; e a adequação constitucional de subsídios. De acordo com o presidente da Associação dos Defensores Públicos do Estado do Ceará (ADPEC), Adriano Leitinho, o principal objetivo da manifestação é reduzir a evasão na carreira, tendo em vista que, nos últimos cinco anos, segundo ele, 69 dos 140 defensores públicos que assumiram o cargo no Ceará abandon aram a profissão. "Eles passam em concursos para outros cargos, com salários melhores", afirma Leitinho.

A Assessoria de Imprensa da Defensoria Pública Geral do Estado do Ceará informa que, apesar da paralisação, a parte administrativa da instituição funcionará normalmente. As pessoas podem se dirigir ao órgão para buscar orientação ou ligar para o Alô Defensoria, no número 129.
Diário do Nordeste – Cidade
http://diariodonordeste.globo.com/materia.asp?codigo=1139833

 

Compartilhe