Os personagens da cartilha "Crianças e Adolescentes – Primeiro! Defensores Públicos pelos direitos da criança e adolescente” ganharam vida nesta manhã de sexta-feira, 17, no Theatro José de Alencar, em Fortaleza. Em um auditório lotado de alunos de escolas públicas, o cartunista e escritor Ziraldo reviveu o entusiasmo de ilustrar a cartilha e deu uma aula de cidadania.

O evento “Conversando com Ziraldo”, que faz parte da campanha nacional "Crianças e Adolescentes – Primeiro! Defensores Públicos pelos direitos da criança e adolescente”, lançada em maio último, foi promovido pela Associação dos Defensores Públicos do Estado do Ceará (ADPEC), Associação Nacional dos Defensores Públicos (ANADEP), Secretaria de Justiça e Cidadania do Estado do Ceará (Sejus) e CONDEGE. O objetivo foi levar os conceitos da campanha ao público infanto-juvenil, para que este tenha consciência dos seus direitos e deveres e seja multiplicador dos ensinamentos da cartilha. “Levem a cartilha para casa, mostrem para os seus pais e digam: leiam comigo”, frisou Ziraldo.

Segundo ele, a formação de um sujeito, enquanto cidadão, deve basear-se na prática da leitura. “O brasileiro até os dez anos deve ler e escrever como se respira, após isso, todo o resto, a vida e o tempo resolvem”. Lembrou que gestos como não jogar papel na rua, respeitar os sinais e placas, os mais velhos, saber dizer obrigado, desculpe, por favor e bom dia quando necessário, são exemplos diários da construção da cidadania.

Ao abrir o evento, o presidente da ADPEC, Adriano Leitinho, fez uma analogia entre o Menino Maluquinho, o mais importante personagem das criações de Ziraldo, com o defensor público. “Hoje, analisando a Defensoria Pública, vejo que o defensor público cearense tem um pouco de Menino Maluquinho dentro de si. Eventos como esse demonstram que o defensor cearense pensa alto e vê além, não se deixando abater pelas dificuldades que encontra pela frente; que não sossega enquanto a população carente de nosso país não tiver um serviço de assistência jurídica integral e gratuita com qualidade; que o defensor público sempre encontra um jeito de levar o acesso à justiça o mais rápido possível a cada um de seus assistidos; e que os defensores públicos, apesar de ainda poucos, conseguem se desdobrar e atender à demanda de 80% da população cearense”, ressaltou.

O evento fez parte ainda das comemorações do 120º aniversário da SEJUS e dos 101 anos do Theatro José de Alencar e contou com apoio do Sistema Verdes Mares de Comunicação.
 

Compartilhe