A Defensoria Pública do Estado do Ceará realizou, na manhã dessa quarta-feira (28/09), solenidade de posse de nove defensores públicos, aprovados no concurso público de 2014. O evento aconteceu na sede administrativa da instituição, durante sessão solene do Egrégio Conselho Superior da Defensoria Pública. Com a posse, são 314 defensores públicos atendendo no Ceará, distribuídos nas maiores densidades populacionais. Em seu discurso, a presidente da Associação, Sandra Sá, deu as boas-vindas aos novos defensores e convidou a todos para se associarem à Adpec. Ela ressaltou o papel da Defensoria Pública como viabilizadora da profusão de direitos fundamentais garantidos pela Constituição e tratados internacionais.

Os novos defensores públicos são: Ana Raísa Farias Cambraia (que assumirá a 5ª Defensoria do Juri), Livia Pinheiro Soares (que assumirá a 5ª Defensoria Auxiliar de Entrância Final), Mayara dos Santos Rodrigues (que assumirá a 1ª Defensoria de Quixeramobim), Samantha Pinheiro Ferreira (que assumirá a 2ª Defensoria de Quixeramobim), Juliana Andrade de Lacerda (que assumirá as 1ª e 3ª Defensoria de Quixadá), Paulo César Oliveira do Carmo (que assumirá as 1ª e 3ª Defensoria de Iguatu), José Fabrício Sabino (que assumirá as 2ª e 3ª Defensoria de Iguatu), Matheus Silva Machado (que assumirá as 1ª e 3ª Defensoria de Tauá), Eduardo Bruno de Figueiredo Carneiro (que assumirá as 2ª e 3ª Defensoria de Tauá).

Já a Defensora Pública Geral do Estado, Mariana Lobo, deu boas vindas aos novos membros da Defensoria. “Quando vejo vocês, entrando pela porta da frente desta casa, brilho nos olhos, familiares orgulhosos, me lembro da minha própria história. E como a vontade de vocês nos motiva a continuar lutando pela instituição que me apaixonei. E sem nenhuma modéstia, que me permitam os demais membros de carreiras afins e como definiu o desembargador aposentado Amilton Bueno de Carvalho, a Defensoria é ‘a atividade mais digna e mais humana da área do Direito’, discorreu.

A defensora Livia Pinheiro Soares, primeira colocada entre os empossados, emocionou a todos em seu discursou citando uma das maiores referências em Direito Penal do país, Amilton Bueno de Carvalho, que guiou a sua fala. “Passar no concurso da Defensoria não pode ser um fim, mas apenas um começo, um início de um compromisso com a radicalidade democrática e com o débil. É fim apenas para burocratas de plantão. Ser defensor público é assumir o compromisso de luta constante. A Defensoria é contra majoritária, pois sua legitimação não vem da vontade das maiorias, mas das lutas pela preservação dos direitos humanos”.

Fotos: Ascom DPGE

Compartilhe