IMG_5371 (1)A defensora pública Denise Sousa Castelo, titular da 8ª Vara de Família da capital, acompanha diariamente os dramas familiares e seus desdobramentos. Como ela observa: o que pode ser uma simples Ação de Alimentos é para o assistido a demanda mais importante de sua vida. E a justiça, quase sempre, não tem a celeridade com que a família necessita ver seu direito concretizado. “Sinto-me muito realizada como pessoa e como profissional por exercer um trabalho de extrema importância pela sua abrangência social e humana”, afirma.

Adpec – Há quanto tempo a senhora atua na Defensoria Pública?

Denise Sousa Castelo – Ingressei na Defensoria Pública em 4 de setembro de 2006, atuando inicialmente na Comarca de Independência, onde tive a grata missão de apresentar a Defensoria para aquele município. Após um período de aproximadamente um ano e seis meses, fui para o Núcleo do João XXIII, onde participei do projeto Justiça Comunitária, que tinha três eixos principais de atuação: atendimento jurídico, mediação comunitária e educação em direitos. Posteriormente, fui designada para o Núcleo da Petição Inicial, onde atuei por cerca de três anos e meio e, atualmente, sou titular da 8ª Vara de Família da capital.

Adpec – Como é o seu dia a dia de trabalho na 8ª Vara de Família de Fortaleza?

Denise Sousa Castelo – Como já mencionei, sou titular da 8ª Vara de Família de Fortaleza, onde realizo atendimentos às partes e faço o acompanhamento de seus processos através de audiências e elaborações de peças processuais.

Adpec – Quais as principais demandas do público alvo (casos mais frequentes no atendimento)?

Denise Sousa Castelo – São todas aquelas atinentes ao Direito de Família, como alimentos, interdição, divórcio, investigação de paternidade, guarda, entre outras.

Adpec – Quantos atendimentos (jurídicos ou mediações) são realizados, em média, no seu órgão de atuação, por dia?

Denise Sousa Castelo – Em média são realizados 10 (dez) atendimentos, que envolvem orientação jurídica e a elaboração de peças processuais. Além do acompanhamento das partes nas audiências judiciais e da realização frequente de conciliações/mediações na sala da Defensoria, fazendo acordos que põem fim as demandas já em curso.

Adpec – Alguma situação específica de um/a assistido/a lhe tocou ou chamou atenção?

Denise Sousa Castelo – Os casos de família são bem tocantes. Considero, de uma forma geral, todos os casos com a mesma importância, sendo difícil eleger especificamente um, pois o que pode parecer uma simples Ação de Alimentos é, para aquele assistido, a demanda principal e mais importante.

Adpec – Quais os maiores desafios na carreira de Defensor Público, sobretudo no seu núcleo de atuação?

Denise Sousa Castelo – Um de nossos maiores desafios é conseguir minimizar as angústias e a insegurança das partes que nos procuram com seus dramas familiares, sobretudo porque o tempo de tramitação de um processo judicial é longo e não atende necessariamente ao tempo de uma demanda de família, que além das questões jurídicas naturalmente envolvidas reveste-se de fator emocional muito forte.

Adpec – E as maiores conquistas/realizações para a senhora?

Denise Sousa Castelo – Sinto-me muito realizada como pessoa e como profissional por exercer um trabalho de extrema importância pela sua abrangência social e humana. Gratifica-me sobremodo um sorriso no rosto de um assistido e a certeza de sua satisfação com o atendimento oferecido pela Defensoria. Sinto-me completa como Defensora Pública, dando voz e esperança àqueles que nos procuram, conquistando e defendendo direitos e interesses daqueles que sempre estiveram à margem do sistema, fazendo-os sentir incluídos e titulares de direitos.

Compartilhe