Mais uma ação civil pública será movida contra o Enem. A Defensoria Pública da União (DPU) no Ceará promete entrar hoje com um pedido para que todos os candidatos que prestaram o exame tenham direito ao acesso aos espelhos de correção de suas provas.

Além disso, a Defensoria pedirá que o modelo-padrão de resposta usado para a correção seja apresentado pela banca examinadora. Ontem, cerca de 30 estudantes procuraram a DPU, alegando que foram prejudicados com a correção.

A Defensoria quer entrar também com um pedido de liminar para que sejam suspensas as inscrições no Sisu. Segundo o responsável pela ação, o defensor público Carlos Henrique Gondim, por mais que o edital do exame proíba o acesso às provas, os pedidos são legítimos.

A justificativa é de que atendem aos princípios de motivação e publicidade que devem estar presentes em um concurso público.

Fonte: O POVO Online/Fortaleza

Compartilhe