Os detentos da Casa de Privação Provisória de Liberdade Desembargador Francisco Adalberto de Oliveira Barros Leal, CPPL de Caucaia, decidiram ontem suspender temporariamente a greve de fome iniciada na segunda-feira (9).
Eles reivindicam a instalação de ventiladores nas celas e reclamam da superlotação da unidade. De acordo com a Secretaria da Justiça e Cidadania (Sejus), o número de presos é de 1.032, excedente de 14,6% da capacidade da CPPL, que é de 900 presos.
Um homem, que se identificou como Francisco e que diz ser detento da unidade, ligou na manhã de ontem para o programa Grande Jornal, da rádio O POVO/CBN, dizendo que a greve só seria suspensa quando fosse assinado documento que garantisse respostas às reivindicações.
O POVO entrou em contato com Francisco na tarde de ontem. Segundo ele, os detentos decidiram suspender a greve até o meio-dia de hoje. Ele conta que há promessa da direção da CPPL de apresentar até esse horário documento assinado pela Secretaria da Justiça.
“O banho de sol dura menos de uma hora e é dividido entre os três pavilhões. Muita coisa que acontece aqui a sociedade não fica sabendo”, diz Francisco. Segundo ele, se o documento não for apresentado, os presos voltam à greve.
Em nota, a Sejus afirma que, entre as reivindicações dos internos, ficaram assegurados o aumento do horário de banho de sol dos internos, a agilidade na entrada das visitas, aos domingos, e uma “alternativa viável para a ventilação das celas”. Segundo a Sejus, a solução será pensada por um engenheiro, de forma a garantir a segurança penitenciária.

Intermediação
A Defensoria Pública do Estado deve intermediar as negociações entre detentos e Sejus. Segundo Bruno Neves, coordenador do Núcleo de Assistência aos Presos Provisórios e às Vítimas da Violência (Nuapp), defensores farão visita à unidade de Caucaia na manhã de hoje.
“Essa superlotação deve estar acontecendo pela transferência de presos das delegacias, por conta da greve dos policiais civis”, aponta Neves. Segundo ele, a inauguração da penitenciária de Pacatuba, em novembro de 2011, ajudou a reduzir o número de presos condenados mantidos nas casas de privação provisória.

E agora
ENTENDA A NOTÍCIA
Defensoria Pública deve intermediar soluções para o problema da superlotação na unidade. Segundo a Sejus, cada cela da CPPL de Caucaia abriga até oito internos. A capacidade é de até seis presos por cela.

Fonte: Jornal O Povo – Ceará
Thiago Mendes (thiagomendes@opovo.com.br)
http://www.2011.opovo.com.br/app/opovo/ceara/2012/01/11/noticiacearajornal,2371813/detentos-de-caucaia-decidem-suspender-greve-de-fome.shtml
 

Compartilhe