Antonio Vieira de AlmeidaNão era a vontade do Dr. Antônio Vieira de Almeida seguir a carreira de defensor público. Desejava ele ser engenheiro agrônomo. “Entretanto, trabalhando em presídio, passei a ter a ideia de cursar a Faculdade de Direito e ser um defensor Público”, comenta nosso entrevistado.

“Não me arrependi, porque ajudar aos hipossuficientes passou a ser o meu objetivo. E o fiz na medida de minha capacidade, sempre primando pela boa prática da ética profissional”, completa Dr. Antônio.

Em janeiro de 1980, ele concluiu a graduação na Faculdade de Direito da Universidade Federal do Ceará (UFC). “Deveria ser em dezembro, o que não ocorreu em função da greve dos professores”, ressalta.

Como já era Agente Prisional, função adquirida através de concurso público em 1972, Dr. Antônio ascendeu à assessoria de presídio, passando por uma prova interna, fazendo jus ao cargo de Assessor Jurídico no Instituto Prisional Professor Olavo Oliveira (IPPOO).

“Vale salientar que, antes de prestar concurso público para Guarda de Presídio, fui Guarda Civil, Cabo da Polícia Militar do Ceará e 3º Sargento do Corpo de Bombeiros do Ceará, quando fui licenciado a pedido”, acrescenta.

Como Defensor Público, Dr. Antônio assumiu a 2ª Vara de Tóxico de Fortaleza. “E dali fui designado para responder pela Comarca de Canindé, onde permaneci por 19 anos. Em seguida, fui nomeado titular da 1ª Vara do Júri de Fortaleza assistindo, sempre que era nomeado, às demais Varas do Júri da capital”, conta.

Dr. Antônio destaca que participou de vários mutirões na primeira e segunda Varas do Júri de Fortaleza, “que correspondia a dois júris por dia, isso em função do acúmulo de processos nessas varas”. Está aposentado desde 2007, quando tinha 39 anos de serviço público e 70 anos de idade, e, na ocasião, era titular da 3ª Vara do Júri.

“Aos trancos e barrancos, assim como ocorreu a outras pessoas, consegui o meu objetivo: a tão sonhada estabilidade funcional e financeira”, confessa, acrescentando: “os méritos de meu sucesso não são só meus, os são, também, de inúmeras pessoas que me ajudaram de alguma forma”.

Dr. Antônio Vieira de Almeida tem uma ampla lista de agradecimentos que vai desde juízes – hoje desembargadores – a promotores de justiça e diretores de secretarias, além de colegas de Defensora Pública.

“Dentre aos meus colegas Defensores Públicos, sem demérito aos demais, enfatizo o Dr. Teófilo Sales, que me ajudou, substancialmente, me indicando para responder pela Comarca da cidade de Canindé. Menciono o Dr. Raimundo Brandão que me apoiou na 2ª Vara do júri, quando ainda era estagiário. Menciono, igualmente, ao Dr. Heitor; ao Dr. Osterne; à dra. Laís; Dra. Sandra Dond; Dra. Paula; Dra Neli; Dra. Benedita; Dra Amália; Dra. Aila”, nomina.

“Gostaria de homenagear a todos os colegas Defensores Públicos, pelo extraordinário empenho em bem elevar o conceito da Instituição, uma das mais escorreitas deste País. A ética profissional acima de tudo”, finaliza.

Deixe uma resposta